{country_name} ↓ TRANS_MENU
Escolher a sua localização:
A minha capaA minha capaA minha capa

O que está acontecendo agora?

Entrar Entrar com Facebook
Nome de usuário ou senha incorreta!

Jacques Wagner rechaça acusação feita por Cerveró em delação

O ministro-chefe do gabinete pessoal da Presidência, Jaques Wagner, divulgou nota rechaçando a inclusão de seu nome na delação premiada do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró. Segundo a assessoria do ministro, ele informou que "está à disposição das autoridades e vai aguardar o resultado definitivo das investigações". Acrescentou também que "está seguro sobre suas atividades sempre motivadas pelo interesse público".
O Tempo
04/05
34 Pontos
1

PGR não deve pedir abertura de inquérito contra Temer

Disse que as indicações dos diretores para a Petrobras foram da bancada do PMDB, e não dele. O cargo já estava prometido à bancada do PMDB de Minas, comandada por Fernando Diniz, e estava destinado a Jorge Zelada.
O Tempo
04/05
9 Pontos

PGR não deve pedir abertura de inquérito contra Temer

Disse que as indicações dos diretores para a Petrobras foram da bancada do PMDB, e não dele. O cargo já estava prometido à bancada do PMDB de Minas, comandada por Fernando Diniz, e estava destinado a Jorge Zelada.
Folha de São Paulo
03/05
13 Pontos
1

PGR envia ao STF pedidos de inquérito contra Aécio Neves e cúpula do PMDB

A Procuradoria Geral da República (PGR) enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedidos de aberturas de quatro novos inquéritos com base na delação do senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS). Segundo Delcídio, ele sabia que os dados estavam sendo maquiados. Além dos quatro pedidos de abertura de inquérito, Janot também pediu a inclusão de citações feitas a integrantes da cúpula do PMDB .
Jornal do Brasil
03/05
22 Pontos
1

Aécio diz que investigação mostrará falsidade de acusações de Delcídio

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) defendeu o pedido de abertura de inquérito contra ele enviado nesta segunda (2) pelo Ministério Público ao STF (Supremo Tribunal Federal) e disse ter "convicção de que as investigações deixarão clara a falsidade das citações feitas".As solicitações de inquéritos têm por base a delação do senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS).
Folha de São Paulo
03/05
16 Pontos
1

Janot pede que Aécio deponha em até 90 dias sobre propina em Furnas

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu na abertura de inquérito contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) que ele preste depoimento em até 90 dias sobre as suspeitas de recebimento de propina de Furnas.A solicitação foi feita ao ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki, relator dos casos relacionados à Operação Lava Jato.
Folha de São Paulo
03/05
12 Pontos

Rodrigo Janot pede que Aécio preste depoimento em até 90 dias

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu na abertura de inquérito contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) que ele preste depoimento em até 90 dias sobre as suspeitas de recebimento de propina de Furnas.A solicitação foi feita ao ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki, relator dos casos relacionados à Operação Lava Jato.
O Tempo
03/05
2 Pontos
1

Aécio diz que investigação mostrará falsidade de acusações de Delcídio

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) defendeu o pedido de abertura de inquérito contra ele enviado nesta segunda (2) pelo Ministério Público ao STF (Supremo Tribunal Federal) e disse ter "convicção de que as investigações deixarão clara a falsidade das citações feitas".As solicitações de inquéritos têm por base a delação do senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS).
O Tempo
02/05
5 Pontos
1

PGR envia pedidos de inquérito contra Aécio e outros políticos

Vital era o presidente da comissão e, Maia, o relator.Delcídio afirmou ainda aos investigadores em sua delação que o então senador Vital do Rêgo (PMDB), atual ministro do TCU, e os deputados Marco Maia e Fernando Francischini (SD-PR) cobravam "pedágios" para não convocar e evitar investigações sobre os empresários Leo Pinheiro, Julio Camargo e Ricardo Pessoa, que são alvos na Lava Jato.
O Tempo
02/05
3 Pontos
1

Procuradores apontam novas denúncias contra Odebrecht e João Santana

Este setor, feito durante a gestão de Marcelo Bahia Odebrecht, se relacionava com doleiros e operadores para concluir pagamentos.O setor de "pagamentos paralelos" tinha muitas cautelas para evitar que a irregularidade dos pagamentos fosse descoberta. Ela destacou a contribuição da ex-funcionária Maria Lucia Tavares, que informou que logo ao entrar no setor foi informada de que cuidaria dos pagamentos paralelos.
Jornal do Brasil
29/04
26 Pontos
1

Odebrecht adotou a corrupção como modelo de negócio profissional

Desde que a Lava Jato chegou ao "departamento de propina", a empreiteira anunciou que vai colaborar com as investigações. O coordenador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, afirmou nesta quinta-feira (28) que a Odebrecht, durante a gestão de Marcelo Odebrecht, herdeiro da família que fundou a maior construtora do País, implementou um sistema profissional de pagamento de propinas.
O Tempo
29/04
5 Pontos
1

Capez vai à Justiça contra promotor que investiga máfia da merenda

tem foro especial e só pode ser investigado pela Procuradoria Geral de Justiça perante o TJ, que é onde tramitam as apurações sobre ele. Em Bebedouro, são investigados os suspeitos sem prerrogativa de foro.Agora, o advogado de Capez pede ao TJ que transfira para a capital todas as investigações, e que suspenda as de Bebedouro.
Folha de São Paulo
27/04
4 Pontos
1

STF mantém Marcelo Odebrecht preso e tira da cadeia dois ex-executivos

"O que há é apenas presunção, que não é admitido como fundamento para decretar a prisão", disse Teori.Segundo a acusação contra a Odebrecht, as obras que eram desejadas pela empreiteira e que teriam envolvimento com o esquema de corrupção estavam entre as 10 maiores do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), principal vitrine de infraestrutura dos governos Lula e Dilma Rousseff. Ele ainda responde a outra ação penal.
Folha de São Paulo
27/04
8 Pontos

CPI que investiga Carf vota nesta terça (26) 80 requerimentos

Entre os empresários que poderão ser convocados está o presidente do Banco Safra, Joseph Safra, e os executivos da Mitsubishi do Brasil (MMC Automóveis), empresa apontada como beneficiária pela suposta venda de MPs, Robert Rittscher e Paulo Arantes Ferraz.Também compõe a lista de requerimentos preferenciais o de convocação dos advogados Mauro Marcondes Machado e Cristina Mautoni Marcondes, suspeitos de envolvimento no esquema de venda de medidas provisórias.
O Tempo
26/04
7 Pontos
Anúncio
Anúncio
Anúncio